Tag: tendências e-commerce (Demo)

Tendências globais de consumo
E-commerce Marketing Digital

As 3 tendências globais de consumo em 2019

Tendências globais de consumo

1. Pessoas mais velhas querem se sentir e agir como mais novas

Em 2019, cresce número de pessoas que não acreditam mais que idade ou velhice é sinônimo de “piorar”. Eles não têm uma visão passiva sobre o envelhecimento e cuidam cada vez mais da aparência e da saúde. Pesquisas apontam que a geração que nasceu entre 1946 e 1964 estão interessados também nas inovações tecnológicas, novos apps e novos smartphones.

2. De volta ao básico: menos é mais

Consumidores estão rejeitando casa vez mais os produtos genéricos. A preferência, agora, é dada aos produtos simplificados e focados. Eles também estão reavaliando seus hábitos de consumo, deixando de lado o materialismo e o consumismo e preferindo as experiências mais simples e autênticas.

3. Um mundo sem plástico – Consumidores mais atentos ao desperdício

Está crescendo cada vez mais as pessoas que lutam por um mundo sem plásticos. Os consumidores estão mais atentos e costumam rejeitar produtos cuja embalagem plástica é descartada com apenas um uso ou aqueles produtos de beleza que trazem micropartículas plásticas que poluem gravemente os oceanos. O uso pelos consumidores será mais consciente, buscando reciclagem, reuso e consumo consciente. Com essa tendência, consumidores pretendem gastar mais em produtos com materiais recicláveis e marcas que se preocupam efetivamente com o meio-ambiente.

E-commerce

5 Tendências que dominam o comércio eletrônico em 2017

Atualmente, o Brasil têm muitos shoppings. No entanto, parece que a bolha de varejo estourou e agora é hora de o comércio eletrônico avançar e preencher o vácuo para satisfazer a necessidade compulsiva dos consumidores de comprar.
 
Abaixo estão algumas das tendências do comércio eletrônico a serem buscadas em 2017:
 

  1. O surgimento dos Bots (Chat)

 
Com o Facebook , Amazon e a Microsoft lançando novas atualizações em seus chatbots, outras empresas estão observando o impacto dessas ações. Chatbots estão lentamente assumindo o aspecto de suporte técnico dessas marcas de serviço ao cliente. Este ano verá o comércio eletrônico adotando plenamente essa inovação. Reclamações, acompanhamento de pedidos, bem como envolvimento em tempo real, tornarão a experiência de compra melhor para o consumidor. Alguns chatbots têm avatares, o que os torna mais divertidos e envolventes, e podem até mesmo fazer o seu pedido em tempo real.
 

  1. Será o fim dos depósitos de construções?

 
O número de estabelecimentos de varejo e depósitos de matérias de construção que fecharam desde o ano passado é surpreendente. De acordo com a Credit Suisse relatório, mais de 8.000 lojas físicas cessará as operações em 2017 em comparação com apenas 2.000 em 2016.
 
Mais e mais pessoas estão fazendo compras on-line, pois as lojas de comércio eletrônico aperfeiçoam lentamente seus sistemas. A logística e os custos de envio estão em declínio, o que também oferece incentivos adicionais aos consumidores comprarem online. Mais frequentemente do que não, os custos de envio são compensados ​​pela gasolina e pelos custos de estacionamento entre outros.
 

  1. A mídia social como força emergente

 
O Facebook tem se marcado como a plataforma tudo em um para empresas de comércio eletrônico. O uso de mídias sociais para direcionar o tráfego para sites de comércio eletrônico não é novo, mas o Facebook está tornando ainda mais fácil para as marcas vender seus produtos em mídias sociais com a Loja do Facebook. Os clientes também podem comprar produtos diretamente através de lojas de comércio eletrônico, sem deixar de olhar esporadicamente novas promoções no Facebook. Se você estiver olhando para mostrar seus produtos aos clientes potenciais, Facebook Live é uma boa plataforma para fazê-lo.
 

  1. Otimização

 
A principal razão pela qual os clientes fazem compras on-line é por conveniência. Eles podem comprar no conforto de sua casa, eles não precisam se vestir ou dirigir para o shopping através do transito pesado. No entanto, à medida que a concorrência se torna mais rígida, a conveniência assume um papel importante. Esta é a razão pela qual as lojas de comércio eletrônico terão realmente de investir na arquitetura de seus sites.
 
A receita perdida causada por transações incompletas devido ao congelamento de sites teria ascendido a US$ 4 trilhões no mundo todo. Os sites de comércio eletrônico precisam reduzir o número de etapas para seus clientes, escolhendo o produto, a compra e a entrega uniforme.
 

  1. Entrega rápida

 
Falando em entrega, os sites de comércio eletrônico agora oferecem o transporte no mesmo dia de seus produtos como um incentivo adicional para comprar. Na verdade, você pode adicionar um custo adicional e que o cliente não vai se importar, pelo menos de acordo com este relatório , que afirma que os clientes estão dispostos a pagar mais apenas para que você possa entregar o produto no mesmo dia em que encomendá-lo.
 
As lojas de comércio eletrônico realmente terão que intensificar seu jogo se não quiserem ser deixadas para trás por essa tendência em constante mudança. Durante os primeiros dias do comércio eletrônico, você poderia se dar ao luxo de ser complacente devido ao monopólio das transações. Agora, são os consumidores que estão ditando a direção da indústria e as lojas online não têm mais escolha do que manter o ritmo.