DKMA

Category: Mídias Sociais

5-estrategias-essenciais-marketing-b2b-1024x496
Marketing Digital Mídias Sociais

As 3 principais estratégias de marketing para B2B

Mercados cada vez mais competitivos nos levam a buscar soluções criativas para termos os negócios notados.

Existem diversos caminhos, mas algumas práticas se destacam entre as principais estratégias de marketing. Algumas delas podem funcionar ainda melhor de acordo com o segmento de atuação da empresa.

1- Marketing de conteúdo


Hoje em dia as pessoas esperam ter um relacionamento entre marcas e clientes. Através do marketing de conteúdo a empresa atrai a atenção do seu público-alvo por meio de temas relevantes e que dizem respeito à sua área de atuação.

dkma tecnologia marketing de conteudo

2- Gerenciamento de redes sociais


Não se trata apenas de criar uma fanpage no Facebook, mas de mantê-la atualizada e com conteúdos relevantes e de interesse para o público da sua marca. É preciso entregar um conteúdo de valor.

3- Pesquisas junto ao consumidor


Conhecer o público da sua marca em detalhes é um dos ensinamentos básicos do marketing. A utilização de um CRM permite ter uma visão estratégica mais assertiva, uso de pesquisas digitais para planejamento e aperfeiçoamento de campanhas, testes de conceito e criativos.

Quer saber como a DKMA pode te ajudar a alavancar suas vendas? Fale com a gente!

instagram-instagram-brasil-instagram-brasilia-instagram-divulgacao-
Curiosidades Mídias Sociais

Instagram: Sugestão de unfollow

O Instagram anunciou recentemente uma funcionalidade que permite visualizar quais contas mais aparecem no app do usuário e também os perfis com menos contato entre os seguidores. O objetivo da novidade é ser uma ferramenta para incentivar o “unfollow” e facilitar a vida de quem pretende diminuir o número de pessoas que aparecem no feed. O novo recurso do Instagram já está sendo distribuído e pode ser encontrado dentro do perfil do usuário. Ao clicar em “seguindo”, a rede social vai listar todas as contas em que você deu follow e trará as opções de classificá-las entre mais e menos postagens no seu feed, fator que leva em conta interações como curtidas e comentários. Além de mostrar quais são os usuários com quem você menos interage e pessoas que mais aparecem no seu Instagram, o recurso também inclui páginas de empresas e contas verificadas, para que você possa se desfazer de interesses que atualmente não geram tanto engajamento em seu perfil. “O Instagram é feito para aproximar você das pessoas e coisas que mais se importa, mas nós sabemos que, com o tempo, seus interesses e relacionamentos podem evoluir e mudar”, explica a rede social no anúncio do recurso. A possibilidade de ver o nível de interação com outros perfis não é a única ferramenta adicionada ao Instagram para auxiliar no processo de “unfollow”. Recentemente, a rede social também começou a permitir que o usuário organize a lista de seguidos em ordem cronológica, o que facilita a vida de quem usa o aplicativo há anos e quer deixar de seguir contas que foram abandonadas, por exemplo. O Instagram está disponível para Android e iOS, e a nova função de visualizar os perfis em categorias já pode ser utilizada em ambas as versões do serviço. Infelizmente, a ferramenta não foi liberada para a edição de desktop da rede social.

FONTE: TecMundo

Curiosidades Mídias Sociais

Usuários de mídias sociais

Existem agora mais de 3,8 bilhões de usuários de mídias sociais pelo mundo, representando 49% do total da população mundial.

A maioria das plataformas sociais não permitem o seu uso por pessoas mais jovens, mas se apenas considerarmos só pessoas maiores de 13 anos, os últimos dados revelam que 63% da audiência “elegível” ja estão usando as mídias sociais.

A média de usuários tem uma conta em mais de 8 milhões de plataformas de mídias sociais diferentes, e consomem uma média de 2 horas e 24 minutos usando mídias sociais cada dia. Esse número varia  consideravelmente através das culturas, porem, com as pessoas nas Filipinas gastando perto de 4 horas por dia nas mídias sociais, enquanto pessoas no Japão usam uma média de apenas 45 minutos por dia usando plataformas sociais.

O Facebook permanece amplamente na plataforma de mídias sociais mais usada do mundo, mas agora existem seis plataformas de mídias sociais que reivindicam mais de um bilhão de usuários ativos mensais cada. Quatro dessas seis plataformas estão em posse pelo Facebook.

14 plataformas de mídias sociais agora possuem 300 milhões ou mais usuários ativos por mês.

-Facebook possui 2,45 bilhões de usuários ativos por mês.

-YouTube possui 2 bilhões de usuários ativos por mês.

-WhatsApp possui 1,60 bilhões de usuários ativos por mês.

-Facebook Messenger possui 1,30 bilhões de usuários ativos por mês.

-WeChat (Weixin) possui 1,15 bilhões de usuários ativos por mês.

-Instagram possui 1 bilhão de usuários ativos por mês.

-TikTok (Douyin) possui 800 milhões de usuários ativos por mês.

-QQ possui 731 milhões de usuários ativos por mês.

-Ozone possui 517 milhões de usuários ativos por mês.

-Sina Weibo possui 497 milhões de usuários ativos por mês.

-Reddit  possui 430 milhões de usuários ativos por mês.

-Snapchat o alcance potencial da publicidade é aproximadamente de 382 milhões de usuários ativos.

-Twitter o alcance potencial da publicidade é aproximadamente de 340 milhões de usarmos ativos.

-Kuaishou possui 316 milhões de usuários ativos por mês.

As preferências de plataformas de mídias sociais variam de país pra outro, assim é importante cavar mais fundo nos dados para entender o que esta acontecendo no nível do local. Po exemplo, o mapa abaixo — baseado em alguns ótimos dados da SimilarWeb  — mostra como preferências de mensagens variam pelo mundo:

Se você gostaria de saber mais sobre uso de mídias sociais em países individuais, incluindo o ranking e os perfis de audiência por idade e género das plataformas de mídia social local, de uma olhada na nossa  complete collection of local reports.

 

Fonte: https://datareportal.com/social-media-users

 

 

 

0608L
Mídias Sociais

Facebook Fará Alteração no nome do instagram e do whatsApp

A popularidade do Facebook caiu entre os consumidores mais jovens, a do Instagram e a do WhatsApp dispararam. E o dono das maiores empresas do mundo, Zuckerberg, quer mesmo deixar bem claro quem manda na coisa toda.O The Verge, site de tecnologia informou que os títulos dos aplicativos mudarão em breve para “Instagram do Facebook” e “WhatsApp do Facebook”. A empresa já segue essa abordagem com seu aplicativo Workplace.

Os novos títulos também aparecerão na Apple Store e no Google Play. Na tela inicial do dispositivo do usuário, o nome de cada um deles permanecerá o mesmo, mas só por enquanto. Porque também é muito provável que “do Facebook” apareça na tela inicial dos dois aplicativos. A gigante da tecnologia já fez essa mudança com o Oculus.
Tudo isso é estrategicamente pensado para alavancar o nome do Facebook e agregar mais users a rede social.
Não contavam com a astúcia de Zuck, não é mesmo?
0308L
Mídias Sociais

Um novo twiter está no ar

O Twitter começou a lançar no ultimo dia 15 de julho um novo design na web para todos os usuários. A nova versão exibe três colunas no desktop. Do lado esquerdo, tem um menu com fontes enormes que levam para as mensagens diretas, as notificações, os itens salvos e as listas, que ficavam meio escondidas no visual antigo. Os trending topics personalizados para cada usuário aparecem na barra lateral direita, com imagens e links para notícias que dão contexto às hashtags destacadas.

No meio de tudo está a linha do tempo, que mostra os “tweets em destaque” primeiro,  ou seja, deixa de lado a ordem cronológica para dar prioridade a tweets importantes que você possa ter perdido. Como de costume, é possível alterar esse comportamento.

A rede social ficou mais personalizável na web. Clicando em “Mais”, no menu lateral, é possível alterar o tamanho das fontes, selecionar uma cor de destaque diferente do azul tradicional do Twitter e escolher entre três opções de planos de fundo: o branco; o “Um pouco escuro”, que deixa tudo azul escuro; e o “Apagar as luzes”, um novo modo totalmente preto.

O novo Twitter já está sendo liberado e deverá chegar a todos os usuários nas próximas semanas.

 

19_07Ll
Mídias Sociais

Instagram começa a exibir anúncios na aba Explorar.

O Instagram anunciou que começará a exibir anúncios na aba Explorar. Essa área pode ser acessada, tocando no ícone de lupa do menu inferior. Exibindo fotos e vídeos publicados por contas que você ainda não conhece, mas tem conteúdo semelhante ao das pessoas que você segue.

De acordo com a rede social, os anúncios não irão aparecer na tela inicial da aba Explorar. Elas poderão ser vistas, apenas quando você selecionar alguma foto ou vídeo daquela seção e começar a rolar a página.

A empresa disse que o primeiro anúncio começou a ser veiculado no mês passado (26) e irá promover o IGTV. Com a chegada dessa novidade, não há mais locais no Instagram que ainda não exibia publicidade.

N1907lL
Mídias Sociais

Game Over aos likes do Instagram?

 

” ̃ ” – Um porta-voz do Instagram disse ao Business Insider quando perguntado sobre o tweet original de Wong, blogueira e especialista em engenharia reversa.
No início desta semana, Wong postou uma captura de tela em sua conta no Twitter mostrando que o Instagram considerou tornar o número de “Likes” um parâmetro invisível para todos, menos para o pôster original. Wong gerou a captura de tela depois de descobrir o código para um teste de alteração de design para usuários do Android. A captura de tela mostra uma postagem no Instagram sem uma contagem de curtir publicamente visível e uma mensagem intitulada “Testando uma mudança em como você vê”. A mensagem diz:
“Queremos que seus seguidores se concentrem no que você compartilha, não em quantos likes seus posts recebem. Durante esse teste, somente a pessoa que compartilhou uma postagem verá o número total de curtidas.”
A história foi relatada pela primeira vez por Josh Constantine, do TechCrunch, que justamente chamou o movimento potencial de “um teste de mudança de projeto aparentemente pequeno, com grande impacto potencial no bem-estar dos usuários”.
Mas o que ninguém estava esperando é que aconteceria tão rápido no Brasil, enquanto os olhares estavam todos para o Canadá. Já que o mundo dizia que iria começar os testes no País na próxima semana.

Pesquisadores descobriram que o Instagram é uma das plataformas de mídia social mais tóxica para os usuários, especialmente os jovens. Em 2017, a Royal Society for Public Health realizou uma pesquisa com 1.500 pessoas de 14 a 24 anos no Reino Unido, perguntando aos usuários sobre suas experiências com os 5 grandes sites de mídia social (Twitter, Facebook, YouTube, Snapchat e Instagram). para avaliar como eles afetavam o bem-estar e os relacionamentos. Descobriu-se que o Instagram tem a influência mais negativa em geral, afetando o sono dos usuários, a imagem corporal e o FOMO (medo de perder) e contribuindo para a ansiedade, a depressão, a solidão e o bullying.
Os jovens relatam especialmente que obter “likes” é uma fonte de auto-estima, e reconhecem como tendo uma influência tóxica.
Primeiro, há o argumento Millennial (que, pode-se argumentar, se estende também à Geração Z). Pessoas com menos de 24 anos são os usuários mais frequentes do Instagram e relatam os efeitos mais negativos do seu uso. Comentaristas argumentam que o amor dos jovens pelas métricas, medições e quantificações, juntamente com suas expectativas de feedback e sua experiência com reforço positivo, os tornam especialmente vulneráveis a um amor por Likes.
Psicologicamente falando, esta necessidade de validação (via Likes) tornou-se ligada com a auto-estima e até mesmo se uma experiência é considerada importante. É como uma árvore caindo na floresta – se você passa um dia na praia e ninguém gosta do seu post, você se divertiu? Usuários adolescentes relataram a exclusão de fotos do Instagram que não receberam o que consideraram “o suficiente”, levantando questões sobre como o seu público-alvo determina não apenas o que você comemora, mas se você lembra ou não.
Para completar, nossos cérebros respondem a Likes no Instagram. Em um artigo de 2016 da Cosmopolitan , Sarah Z. Wexler chamou de Likes “o crack legal, livre e rápido do nosso tempo”.
Um estudo de 2016 por pesquisadores da UCLA mediu as respostas comportamentais e neurais dos adolescentes aos Likes do Instagram, chamando-os de “uma forma quantificável de endosso social e fonte potencial de influência de pares”. Eles descobriram que os sujeitos gostavam mais de fotos que já haviam sido apreciadas. Eles também mostraram que visualizar fotos com muitos Likes “estava associado a uma maior atividade em regiões neurais implicadas no processamento de recompensas, cognição social, imitação e atenção. Um estudo de acompanhamento em 2017, replicou esses resultados e também mostrou que usuários mais jovens (estudantes do ensino médio, neste caso) mostraram maior atividade no centro de recompensas do cérebro ao exibir fotos com muitos Likes.
O Instagram parece entender o papel deles nisso. Eles estão cogitando adulterar seu recurso de Curtir, o que certamente atrairá o desapontamento das empresas de marketing, influenciadores e outras marcas. Há, naturalmente, uma conversa maior aqui sobre o papel que essas entidades desempenham em tornar o Instagram uma atividade potencialmente prejudicial para os jovens – uma simples pesquisa no Google mostrará dezenas de artigos sobre como tirar proveito da psicologia humana e da fragilidade para obter mais curtidas. nas suas postagens. Mas, nesse meio tempo, é interessante ver uma entidade de mídia social se esforçando para pelo menos reconhecer implicitamente o papel que desempenham no fornecimento de uma plataforma para possíveis danos psicológicos.
Quando perguntado sobre o tweet original de Wong, um porta-voz do Instagram disse ao Business Insider que eles não estavam testando esse recurso “no momento”, mas disse: “Explorar maneiras de reduzir a pressão no Instagram é algo que estamos sempre pensando.”
Essa ideia de que a Likes exerce uma pressão deletéria sobre os usuários também foi repetida pelo CEO do Twitter, Jack Dorsey, em uma palestra no TED esta semana, na qual ele disse que se ele pudesse voltar e recriar o Twitter, ele nunca teria incluído um recurso do Like.
Mas parece que o que está feito está feito. Agora você pode esperar encontrar milhares de curtidas em posts rejeitando a ideia de um Instagram perfeitamente curado.

0407_L
Mídias Sociais

Você já deve ter visto que ontem liberou mais um sticker para você usar nos stories: o Bate-Papo!

O uso é bem simples:
Defina o assunto para interagir.
Os seus seguidores vão solicitar entrada e você pode aprovar quem vai fazer parte. (Existe um limite de 32 pessoas)
Lá no chat existem opções de moderação, como silenciar conversas,excluir um membro ou até encerrar o bate-papo.

Pense bem! O Instagram está te possibilitando mais uma alternativa para que, você possa Divulgar mais, vender mais e ter muito mais friends!
Super master essa novidade!
Nós achamos mais que demais.
E você, o que achou? Testa e conta pra gente

Estrela do instagram
Mídias Sociais

Deu Ruim! Estrela do Instagram com 2 milhões de seguidores não conseguiu vender 36 camisetas.

 

Uma estrela do Instagram provocou uma discussão esse fim de semana sobre como os poderosos influenciadores de mídias sociais realmente são. Depois de NÃO vender 36 camisetas para seus 2,6 milhões de seguidores.

 

 

Arii, cujo nome real é Arianna Renee, decidiu lançar sua própria linha de roupas, ERA, com uma queda inicial de camisetas.

A jovem de 18 anos talvez pudesse ser perdoada por presumir que sua enorme contagem de seguidores se traduziria em vendas, mas esse não era o caso.

A influenciadora de Miami disse que a empresa que produziu a marca disse que precisava vender pelo menos 36 camisetas da primeira linha de produtos para que a linha continuasse, mas Renee não atingiu o alvo. .

Na longa legenda, ela explicou que “sabia que ia ser difícil”, mas que “ela estava recebendo um feedback tão bom que as pessoas adoraram e iriam comprá-lo”.

“Ninguém manteve sua palavra, então agora a empresa não poderá mandar as encomendas para as pessoas que realmente compraram – e isso quebra meu coração”, disse Renee.

“As pessoas que eu pensava que me apoiariam, realmente não compartilhavam nenhum dos meus posts (tudo o que eu pedia)…”

Ela explicou que as pessoas que tinham encomendado uma T-shirt seria devolvido, e disse que iria levar a experiência como “um wake up call a trabalhar mais.”

Infelizmente para Renée, seu post não foi recebido com muita simpatia online, com muitas pessoas rapidamente compartilhando seus dois centavos na falha de marketing.

Uma pessoa no Twitter sugeriu que “a bolha do influenciador está explodindo”.

 

Outros sugeriram que o principal erro era como Renee comercializava o produto, apontando que as camisetas realmente não se encaixavam com o resto de seu estilo, e ela também não fez muito para promovê-las.

Renée não respondeu imediatamente ao pedido de comentários do INSIDER.

A especialista em marketing de influência Shirley Leigh-Wood Oakes, cofundadora da agência de marcas WickerWood , disse que não está surpresa por Renée não ter vendido mais camisetas.

“A partir da revisão cuidadosa da suposta ‘marca’ que Arii diz que lançou, e da primeira edição de camisetas que seriam o produto de lançamento ‘herói’ da marca, a marca foi muito mal criada e fraca em execução e imagem de marca”. ela disse.

Há também o fato de que as camisetas não eram muito excitantes.

“Não havia nada de especial nessas camisetas”, disse Leigh-Wood Oakes. “Nada pessoal, ou criativo, inspirador ou excitante. Eles eram simplesmente camisetas pretas de mangas compridas e de marca. E o marketing era imaturo, não profissional e preguiçoso”.

O preço das camisetas é desconhecido, mas Leigh-Wood Oakes disse que “se ela tiver um preço muito alto e seus seguidores em massa não puderem pagar, não vão se envolver ou comprar”.

“Especialmente se for superfaturado e a imagem da marca for fraca. O preço é extremamente importante. Tudo isso remete à compreensão do seu público.”

No Twitter, Jack Appleby, especialista em campanha e conteúdo, destacou que a Renee só postou duas imagens sobre o produto antes de lançá-lo.

Appleby também questionou se os 2,6 milhões de seguidores de Renee eram reais, mas mesmo que não fossem, o noivado dela sugere que ela deveria ter conseguido vender mais de 36 camisetas.

No que diz respeito a Leigh-Wood Oakes, existem vários fatores em jogo a respeito de porque o lançamento da camiseta falhou tão espetacularmente.

“Parece haver muitos erros na forma como isso foi executado desde o início, o que não é apenas aparente na forma como a marca foi criada e na campanha de lançamento, mas também em sua resposta à venda da marca”, disse ela. .

“Falta de promoção em seus canais, nenhum conteúdo relacionado à criação ou processo por trás do estabelecimento da marca e nenhuma personalidade ou emoção.”

Leigh-Wood Oakes enfatizou que é simplista demais supor que os seguidores se igualarão aos clientes – você precisa conhecer seus potenciais consumidores.

Ela acrescentou que, em sua experiência, os influenciadores que lançam seus próprios produtos falham em cerca de 50% do tempo, mas é possível fazê-lo com sucesso.

“Alguns influenciadores conhecem seus seguidores e o que eles querem do influenciador”, explicou ela. “Seja seu estilo de moda ou seus conselhos de beleza, eles analisam o que seus seguidores preferem e vendem para isso.”

Ela forneceu o influenciador Arielle Charnas e a marca de estilo de vida Something Navy como um bom exemplo.

“Ela também trabalha muito e seus seguidores vêem isso todos os dias em seus canais.”

Ela acrescentou: “Seguidores adoram ver os bastidores, eles querem fazer parte da jornada criativa com o influenciador, ver os altos e baixos, mas ver você trabalhando para construir algo que você possa compartilhar com eles. A compra deles é então sua maneira de ter um pedaço de tudo. “

facebook stories T
Curiosidades Mídias Sociais

Facebook Stories

O Facebook Stories – agora com 500 milhões de usuários diários  – não tem sido um sucesso tão grande quanto o Instagram Stories, em termos de usuários em geral para o índice de usuários de Stories, mas o uso está, de fato, crescendo. A chave para levá-lo ao próximo nível pode ser a conscientização de tais ferramentais. Um novo layout do Stories, colocando mais funções ao alcance imediato e tangível. Quem declarou essa novidade foi a especialista em engenharia reversa  Jane Manchun .(A jovem de 23 anos temida pelo Facebook, Instagram e outros gigantes.)

 

 

Os usuários do Facebook têm aumentado sua faixa etária e esses não cresceram usando plataformas sociais e estão menos familiarizados com as funcionalidades do aplicativo, por isso o Facebook está trabalhando nesse novo layout.

 

Atualização do compositor do Facebook Stories

 

O novo layout colocaria mais das várias funções do lado direito, ao mesmo tempo em que rotula cada elemento de forma mais clara.  Em um novo teste o Facebook torna essas opções ainda mais visíveis e antecipadas.

Exemplo de um compositor atualizado do Facebook Stories

Não há dúvidas, certo? 

As opções estão bem aí, na sua frente. Se o Facebook está preocupado com o fato das pessoas não estarem usando essas ferramentas e está buscando facilidade para popularizar a ferramenta entre os usuários mais velhos, devemos também ficar atentos a essas modificações e chegarmos a frente. Orientando essa galera que são potenciais leads. Ao destacar melhor as opções criativas disponíveis, o Facebook pode atrair mais pessoas e impulsionar o engajamento com o Facebook Stories – que, diz o Facebook, está prestes a se tornar a principal opção de compartilhamento da plataforma e ultrapassar o Feed de notícias até o final do ano. Com essa conscientização de tais ferramentas, todos poderão ver porque o Facebook esta seguindo esse caminho. Ainda é apenas um teste – O Facebook não divulgou data para lançar essas iterações. Mas é claro- O Facebook quer orientar os usuários menos familiarizados para o novo mundo das Histórias, onde a Zuck and Co. já vê o compartilhamento social.

as vovós do facebook cada vez mais conectadas no Facebook stories

Não fique surpreso se a qualquer momento ver seus Stories diferente – e então, ver muito mais pesquisas, GIFs e adesivos de música nas histórias de suas tias e tios como resultado. Fique ligado nas modificações e faça sucesso com sua audiência.