DKMA

Category: Mídias Sociais

estender-1000-palavras-dicas-incriveis-para-profissao-social-media
Curiosidades Mídias Sociais

A importância do Social Media para sua Empresa

Que a internet revolucionou a forma que as pessoas se relacionam e consomem produtos e serviços não é novidade. Hoje, as redes sociais alcançam bilhões de pessoas em todo o mundo e deixaram de ser apenas sinônimo de entretenimento para ser uma importante ferramenta no marketing digital – só o facebook conta com mais de 2 bilhões de usuários. Para usufruir dos benefícios que as redes sociais proporcionam e posicionar a sua marca, não basta somente saber “mexer” nas redes, mas sim entender tudo o que envolve o relacionamento com o cliente. Um aspecto que mostra a importância de um social media é a produção de conteúdo: o inbound marketing veio mesmo para ficar. As estratégias de engajamento por meio de conteúdo relevante estão cada vez mais fortes e os clientes não querem saber apenas do seu produto ou das vantagens dele – querem toda uma experiência de consumo, contando com informações importantes e interessantes que envolvem o produto e a compra. Um social media que produza conteúdo interessante e bem planejado promove a ideia de confiança e autoridade no assunto, dois pilares importantíssimos quando falamos em consumo. É fato que hoje em dia temos um acesso instantâneo a qualquer informação, graças ao desenvolvimento da internet. Com o avanço da tecnologia dos smartphones, é praticamente possível buscar qualquer informação a qualquer hora – e isso é excelente mas, sem o trabalho de um social media, pode trazer prejuízos para a empresa. As redes sociais se tornaram um dos principais meios das pessoas expressarem sua satisfação ou insatisfação por um produto ou serviço e uma reclamação pode rapidamente chegar a milhares de potenciais consumidores. Ou seja, um feedback negativo sem o manejo adequado pode ser desastroso. Assim como em outras posições estratégicas dentro de uma empresa, a função de social media requer estudo e capacitação e demanda tempo. Toda essa gestão de redes sociais representa um custo, mas é um canal de mídia que oferece maior retorno sobre

Dicas para desenvolver sua carreira como analista de mídias sociais
Curiosidades Mídias Sociais

3 novas redes sociais para investir em 2020

Você já se perguntou quais serão as novas redes sociais que dominarão a internet? Nem só de Facebook, Twitter e Instagram vive a web, existem outras redes sociais. No mundo digital, as plataformas vêm e vão. Quem diria que o Orkut, o Foursquare e o Snapchat entrariam em desuso no Brasil, não é mesmo? Nenhuma mídia social é blindada. Em uma era de conexões cada vez mais rápidas, elas podem ser empoderadas ou sumirem de uma hora para a outra. Nesse cenário, reconheço várias aspirantes a novas mídias dominantes. E é exatamente sobre elas que falarei neste texto.

1. Shoelace A Shoelace é nova rede social do Google criada em 2019. Ela aposta nos interesses e eventos em comum para conectar as pessoas, e é a grande sacada da empresa para voltar a figurar entre as grandes redes sociais interativas. É voltada apenas para dispositivos móveis, pelo menos a princípio. Basicamente tem como principal ponto o encontro presencial entre pessoas, mostrando uma tendência na contramão das mídias tradicionais de internet. 2. Hello Fundada pelo mesmo criador do Orkut junto a um pequeno grupo de engenheiros do Google, a Hello promete ser um ambiente seguro para amizades verdadeiras. Ou seja, visa auxiliar o encontro de pessoas com interesses semelhantes e localidades próximas (bem similar ao que promete a Shoelace, por sinal).

3. TikTok Fundada em 2016, a TikTok já conta com mais de 1,5 bilhões de usuários ativos mensalmente. Com o lema “faça seu dia”, a rede social tem como foco o compartilhamento de vídeos criados por pessoas comuns. Para se ter uma ideia do potencial do aplicativo, ele foi mais baixado que o Instagram e o Facebook em 2018. Aqui as pessoas se divertem. Gravam vídeos curtos (entre 15 e 60 segundos) e criam clipes musicais e cenas engraçadas. Mas o ponto forte são as dublagens. Os usuários podem inserir filtros animados, efeitos visuais, textos, sons e músicas para tornar seus vídeos mais interessantes. Outro ponto importante é o uso de hashtags para desafiar outras pessoas. O recurso é um sucesso nos segmentos de moda, eventos, mídia e entretenimento, mas tem grande potencial para expansão para outras áreas.

Fonte: neilpatel

instagram-estatisticas-capa-1366x768
Aplicativos Curiosidades Mídias Sociais

Novo aplicativo de mensagens do instagram sendo desenvolvido

O Instagram está trabalhando em um novo aplicativo de mensagens chamado Threads “para promover o compartilhamento constante e íntimo entre os usuários e seus amigos mais próximos”, conforme aponta uma reportagem do Verge publicada nesta segunda-feira. Essa parece ser mais uma tentativa do Facebook de entrar no território do Snapchat. O Threads seria desenvolvido como um app irmão para o Instagram e “incentivaria os usuários a compartilhar automaticamente sua localização, velocidade e bateria restante” com quem estiver na lista de “melhores amigos”, “junto com ferramentas de mensagens típicas como texto, foto e vídeo”. O aplicativo está sendo testado internamente e parece outra tentativa de emplacar um app de mensagens separado ao Instagram. Em 2017, a companhia deixou de trabalhar no Direct, que funcionaria separadamente. O Verge aponta que o Threads foi desenvolvido para compartilhar uma ampla gama de informações com a lista de melhores amigos do usuário. Isso inclui uma funcionalidade opcional de “compartilhamento automático” que dá acesso a atualizações regulares à localização da pessoa: Capturas de tela analisadas pelo Verge mostram um aplicativo que é projetado para promover o compartilhamento constante e automático entre os usuários e as pessoas que estão na “lista de melhores amigos” do Instagram. Opte por compartilhar automaticamente e o Threads vai atualizar regularmente o seu status, dando aos seus amigos uma visualização em tempo real de sua localização, velocidade, entre outros. Neste momento, o Threads não mostra a sua localização em tempo real – em vez disso, o app pode dizer algo que um amigo “está se deslocando”, de acordo com fontes familiarizadas com o assunto. Você também pode atualizar o seu status manualmente, e eles aparecerão no feed principal junto com as mensagens. Em outras palavras, o Threads parece ter como objetivo permitir que uma lista de amigos possa receber atualizações regulares e automáticas. O Threads tem ainda uma seção onde as mensagens de amigos aparecem em um feed central, junto com um “pontinho verde que indica quais de seus amigos estão ativos naquele momento” – algo que já estamos habituados no Facebook Messenger, por exemplo. O tal app também permite que os usuários veja rapidamente stories publicados pelos amigos e inclui funções de câmera. O Facebook, depois de enfrentar críticas crescentes sobre seu papel onipresente que vai desde a promoção de propaganda política falsas a vazamentos maciços de dados, sinalizou que algumas mudanças importantes estão em andamento. Mark Zuckerberg anunciou que a privacidade passaria a ser central para a empresa e, segundo informações, lançou um projeto para mesclar a infraestrutura de mensagens do WhatsApp, Instagram e Facebook Messenger. É difícil evitar a impressão de que estão tentando deixar lado as plataformas públicas pelas plataformas fechadas somente para mascarar as muitas falhas da empresa. Não está claro qual o papel que o Threads pode desempenhar no futuro do Facebook. Mas fortalecer os recursos de mensagens do Instagram enquanto integra ainda mais a rede social na infraestrutura técnica do Facebook pode ajudar Zuckerberg e sua equipe a argumentar que o Facebook e suas subsidiárias estão muito interconectadas para se separarem, especialmente em um momento em que as agências antitruste estão analisando as últimas aquisições corporativas. De acordo com o Verge, não está claro quando a Threads pode ser lançado. FONTE: The Verge

instagram-instagram-brasil-instagram-brasilia-instagram-divulgacao-
Curiosidades Mídias Sociais

Instagram: Sugestão de unfollow

O Instagram anunciou recentemente uma funcionalidade que permite visualizar quais contas mais aparecem no app do usuário e também os perfis com menos contato entre os seguidores. O objetivo da novidade é ser uma ferramenta para incentivar o “unfollow” e facilitar a vida de quem pretende diminuir o número de pessoas que aparecem no feed. O novo recurso do Instagram já está sendo distribuído e pode ser encontrado dentro do perfil do usuário. Ao clicar em “seguindo”, a rede social vai listar todas as contas em que você deu follow e trará as opções de classificá-las entre mais e menos postagens no seu feed, fator que leva em conta interações como curtidas e comentários. Além de mostrar quais são os usuários com quem você menos interage e pessoas que mais aparecem no seu Instagram, o recurso também inclui páginas de empresas e contas verificadas, para que você possa se desfazer de interesses que atualmente não geram tanto engajamento em seu perfil. “O Instagram é feito para aproximar você das pessoas e coisas que mais se importa, mas nós sabemos que, com o tempo, seus interesses e relacionamentos podem evoluir e mudar”, explica a rede social no anúncio do recurso. A possibilidade de ver o nível de interação com outros perfis não é a única ferramenta adicionada ao Instagram para auxiliar no processo de “unfollow”. Recentemente, a rede social também começou a permitir que o usuário organize a lista de seguidos em ordem cronológica, o que facilita a vida de quem usa o aplicativo há anos e quer deixar de seguir contas que foram abandonadas, por exemplo. O Instagram está disponível para Android e iOS, e a nova função de visualizar os perfis em categorias já pode ser utilizada em ambas as versões do serviço. Infelizmente, a ferramenta não foi liberada para a edição de desktop da rede social.

FONTE: TecMundo

Curiosidades Mídias Sociais

Usuários de mídias sociais

Existem agora mais de 3,8 bilhões de usuários de mídias sociais pelo mundo, representando 49% do total da população mundial.

A maioria das plataformas sociais não permitem o seu uso por pessoas mais jovens, mas se apenas considerarmos só pessoas maiores de 13 anos, os últimos dados revelam que 63% da audiência “elegível” ja estão usando as mídias sociais.

A média de usuários tem uma conta em mais de 8 milhões de plataformas de mídias sociais diferentes, e consomem uma média de 2 horas e 24 minutos usando mídias sociais cada dia. Esse número varia  consideravelmente através das culturas, porem, com as pessoas nas Filipinas gastando perto de 4 horas por dia nas mídias sociais, enquanto pessoas no Japão usam uma média de apenas 45 minutos por dia usando plataformas sociais.

O Facebook permanece amplamente na plataforma de mídias sociais mais usada do mundo, mas agora existem seis plataformas de mídias sociais que reivindicam mais de um bilhão de usuários ativos mensais cada. Quatro dessas seis plataformas estão em posse pelo Facebook.

14 plataformas de mídias sociais agora possuem 300 milhões ou mais usuários ativos por mês.

-Facebook possui 2,45 bilhões de usuários ativos por mês.

-YouTube possui 2 bilhões de usuários ativos por mês.

-WhatsApp possui 1,60 bilhões de usuários ativos por mês.

-Facebook Messenger possui 1,30 bilhões de usuários ativos por mês.

-WeChat (Weixin) possui 1,15 bilhões de usuários ativos por mês.

-Instagram possui 1 bilhão de usuários ativos por mês.

-TikTok (Douyin) possui 800 milhões de usuários ativos por mês.

-QQ possui 731 milhões de usuários ativos por mês.

-Ozone possui 517 milhões de usuários ativos por mês.

-Sina Weibo possui 497 milhões de usuários ativos por mês.

-Reddit  possui 430 milhões de usuários ativos por mês.

-Snapchat o alcance potencial da publicidade é aproximadamente de 382 milhões de usuários ativos.

-Twitter o alcance potencial da publicidade é aproximadamente de 340 milhões de usarmos ativos.

-Kuaishou possui 316 milhões de usuários ativos por mês.

As preferências de plataformas de mídias sociais variam de país pra outro, assim é importante cavar mais fundo nos dados para entender o que esta acontecendo no nível do local. Po exemplo, o mapa abaixo — baseado em alguns ótimos dados da SimilarWeb  — mostra como preferências de mensagens variam pelo mundo:

Se você gostaria de saber mais sobre uso de mídias sociais em países individuais, incluindo o ranking e os perfis de audiência por idade e género das plataformas de mídia social local, de uma olhada na nossa  complete collection of local reports.

 

Fonte: https://datareportal.com/social-media-users

 

 

 

0608L
Mídias Sociais

Facebook Fará Alteração no nome do instagram e do whatsApp

A popularidade do Facebook caiu entre os consumidores mais jovens, a do Instagram e a do WhatsApp dispararam. E o dono das maiores empresas do mundo, Zuckerberg, quer mesmo deixar bem claro quem manda na coisa toda.O The Verge, site de tecnologia informou que os títulos dos aplicativos mudarão em breve para “Instagram do Facebook” e “WhatsApp do Facebook”. A empresa já segue essa abordagem com seu aplicativo Workplace.

Os novos títulos também aparecerão na Apple Store e no Google Play. Na tela inicial do dispositivo do usuário, o nome de cada um deles permanecerá o mesmo, mas só por enquanto. Porque também é muito provável que “do Facebook” apareça na tela inicial dos dois aplicativos. A gigante da tecnologia já fez essa mudança com o Oculus.
Tudo isso é estrategicamente pensado para alavancar o nome do Facebook e agregar mais users a rede social.
Não contavam com a astúcia de Zuck, não é mesmo?
0308L
Mídias Sociais

Um novo twiter está no ar

O Twitter começou a lançar no ultimo dia 15 de julho um novo design na web para todos os usuários. A nova versão exibe três colunas no desktop. Do lado esquerdo, tem um menu com fontes enormes que levam para as mensagens diretas, as notificações, os itens salvos e as listas, que ficavam meio escondidas no visual antigo. Os trending topics personalizados para cada usuário aparecem na barra lateral direita, com imagens e links para notícias que dão contexto às hashtags destacadas.

No meio de tudo está a linha do tempo, que mostra os “tweets em destaque” primeiro,  ou seja, deixa de lado a ordem cronológica para dar prioridade a tweets importantes que você possa ter perdido. Como de costume, é possível alterar esse comportamento.

A rede social ficou mais personalizável na web. Clicando em “Mais”, no menu lateral, é possível alterar o tamanho das fontes, selecionar uma cor de destaque diferente do azul tradicional do Twitter e escolher entre três opções de planos de fundo: o branco; o “Um pouco escuro”, que deixa tudo azul escuro; e o “Apagar as luzes”, um novo modo totalmente preto.

O novo Twitter já está sendo liberado e deverá chegar a todos os usuários nas próximas semanas.

 

19_07Ll
Mídias Sociais

Instagram começa a exibir anúncios na aba Explorar.

O Instagram anunciou que começará a exibir anúncios na aba Explorar. Essa área pode ser acessada, tocando no ícone de lupa do menu inferior. Exibindo fotos e vídeos publicados por contas que você ainda não conhece, mas tem conteúdo semelhante ao das pessoas que você segue.

De acordo com a rede social, os anúncios não irão aparecer na tela inicial da aba Explorar. Elas poderão ser vistas, apenas quando você selecionar alguma foto ou vídeo daquela seção e começar a rolar a página.

A empresa disse que o primeiro anúncio começou a ser veiculado no mês passado (26) e irá promover o IGTV. Com a chegada dessa novidade, não há mais locais no Instagram que ainda não exibia publicidade.

N1907lL
Mídias Sociais

Game Over aos likes do Instagram?

 

” ̃ ” – Um porta-voz do Instagram disse ao Business Insider quando perguntado sobre o tweet original de Wong, blogueira e especialista em engenharia reversa.
No início desta semana, Wong postou uma captura de tela em sua conta no Twitter mostrando que o Instagram considerou tornar o número de “Likes” um parâmetro invisível para todos, menos para o pôster original. Wong gerou a captura de tela depois de descobrir o código para um teste de alteração de design para usuários do Android. A captura de tela mostra uma postagem no Instagram sem uma contagem de curtir publicamente visível e uma mensagem intitulada “Testando uma mudança em como você vê”. A mensagem diz:
“Queremos que seus seguidores se concentrem no que você compartilha, não em quantos likes seus posts recebem. Durante esse teste, somente a pessoa que compartilhou uma postagem verá o número total de curtidas.”
A história foi relatada pela primeira vez por Josh Constantine, do TechCrunch, que justamente chamou o movimento potencial de “um teste de mudança de projeto aparentemente pequeno, com grande impacto potencial no bem-estar dos usuários”.
Mas o que ninguém estava esperando é que aconteceria tão rápido no Brasil, enquanto os olhares estavam todos para o Canadá. Já que o mundo dizia que iria começar os testes no País na próxima semana.

Pesquisadores descobriram que o Instagram é uma das plataformas de mídia social mais tóxica para os usuários, especialmente os jovens. Em 2017, a Royal Society for Public Health realizou uma pesquisa com 1.500 pessoas de 14 a 24 anos no Reino Unido, perguntando aos usuários sobre suas experiências com os 5 grandes sites de mídia social (Twitter, Facebook, YouTube, Snapchat e Instagram). para avaliar como eles afetavam o bem-estar e os relacionamentos. Descobriu-se que o Instagram tem a influência mais negativa em geral, afetando o sono dos usuários, a imagem corporal e o FOMO (medo de perder) e contribuindo para a ansiedade, a depressão, a solidão e o bullying.
Os jovens relatam especialmente que obter “likes” é uma fonte de auto-estima, e reconhecem como tendo uma influência tóxica.
Primeiro, há o argumento Millennial (que, pode-se argumentar, se estende também à Geração Z). Pessoas com menos de 24 anos são os usuários mais frequentes do Instagram e relatam os efeitos mais negativos do seu uso. Comentaristas argumentam que o amor dos jovens pelas métricas, medições e quantificações, juntamente com suas expectativas de feedback e sua experiência com reforço positivo, os tornam especialmente vulneráveis a um amor por Likes.
Psicologicamente falando, esta necessidade de validação (via Likes) tornou-se ligada com a auto-estima e até mesmo se uma experiência é considerada importante. É como uma árvore caindo na floresta – se você passa um dia na praia e ninguém gosta do seu post, você se divertiu? Usuários adolescentes relataram a exclusão de fotos do Instagram que não receberam o que consideraram “o suficiente”, levantando questões sobre como o seu público-alvo determina não apenas o que você comemora, mas se você lembra ou não.
Para completar, nossos cérebros respondem a Likes no Instagram. Em um artigo de 2016 da Cosmopolitan , Sarah Z. Wexler chamou de Likes “o crack legal, livre e rápido do nosso tempo”.
Um estudo de 2016 por pesquisadores da UCLA mediu as respostas comportamentais e neurais dos adolescentes aos Likes do Instagram, chamando-os de “uma forma quantificável de endosso social e fonte potencial de influência de pares”. Eles descobriram que os sujeitos gostavam mais de fotos que já haviam sido apreciadas. Eles também mostraram que visualizar fotos com muitos Likes “estava associado a uma maior atividade em regiões neurais implicadas no processamento de recompensas, cognição social, imitação e atenção. Um estudo de acompanhamento em 2017, replicou esses resultados e também mostrou que usuários mais jovens (estudantes do ensino médio, neste caso) mostraram maior atividade no centro de recompensas do cérebro ao exibir fotos com muitos Likes.
O Instagram parece entender o papel deles nisso. Eles estão cogitando adulterar seu recurso de Curtir, o que certamente atrairá o desapontamento das empresas de marketing, influenciadores e outras marcas. Há, naturalmente, uma conversa maior aqui sobre o papel que essas entidades desempenham em tornar o Instagram uma atividade potencialmente prejudicial para os jovens – uma simples pesquisa no Google mostrará dezenas de artigos sobre como tirar proveito da psicologia humana e da fragilidade para obter mais curtidas. nas suas postagens. Mas, nesse meio tempo, é interessante ver uma entidade de mídia social se esforçando para pelo menos reconhecer implicitamente o papel que desempenham no fornecimento de uma plataforma para possíveis danos psicológicos.
Quando perguntado sobre o tweet original de Wong, um porta-voz do Instagram disse ao Business Insider que eles não estavam testando esse recurso “no momento”, mas disse: “Explorar maneiras de reduzir a pressão no Instagram é algo que estamos sempre pensando.”
Essa ideia de que a Likes exerce uma pressão deletéria sobre os usuários também foi repetida pelo CEO do Twitter, Jack Dorsey, em uma palestra no TED esta semana, na qual ele disse que se ele pudesse voltar e recriar o Twitter, ele nunca teria incluído um recurso do Like.
Mas parece que o que está feito está feito. Agora você pode esperar encontrar milhares de curtidas em posts rejeitando a ideia de um Instagram perfeitamente curado.

0407_L
Mídias Sociais

Você já deve ter visto que ontem liberou mais um sticker para você usar nos stories: o Bate-Papo!

O uso é bem simples:
Defina o assunto para interagir.
Os seus seguidores vão solicitar entrada e você pode aprovar quem vai fazer parte. (Existe um limite de 32 pessoas)
Lá no chat existem opções de moderação, como silenciar conversas,excluir um membro ou até encerrar o bate-papo.

Pense bem! O Instagram está te possibilitando mais uma alternativa para que, você possa Divulgar mais, vender mais e ter muito mais friends!
Super master essa novidade!
Nós achamos mais que demais.
E você, o que achou? Testa e conta pra gente